É melhor usar uma marca ou o próprio nome na fotografia?


A definição entre o uso de uma marca comercial ou o próprio nome na fotografia é muitas vezes tomada pelas circunstâncias do momento ou mesmo pela comodidade. As situações mais comuns que vejo são aqueles que optaram por uma marca por terem um ou mais sócios e os que optaram pelo nome por atuarem sozinho.

Será esse o ponto mais crucial nessa escolha? Garanto que não!

A opção pelo uso do próprio nome ou criação de uma marca deve ser uma decisão estratégica, pautada pelo plano de médio e longo prazo da carreira do fotógrafo. Para entender isso melhor, vamos analisar os benefícios e desvantagens de cada situação:

Uso no nome próprio

Benefícios

Maior facilidade de divulgação, pois seus amigos e conhecidos o indicarão pelo nome;
Pressupõem um trabalho mais autoral e único;
Em certos mercados, como família e newborn, os clientes preferem tratar com “pessoas” a “empresas”.

Desvantagens

Todas as demandas são direcionadas ao fotógrafo, pois cliente quer falar, tratar, negociar, tudo com ele;
Maior dificuldade na expansão, pois uma equipe enfraquece essa relação pessoal;
Negócio encerra-se na pessoa, impossibilitando criação de outros pontos de venda, inclusive limitando a longevidade.

Uso de marca comercial

Benefícios

Permite expansão e diversificação do negócio, que pode funcionar inclusive independente do fotógrafo original;
Criação de equipes para diferentes áreas é viável e colabora para ampliação de valores;
Maior longevidade de negócio e liberdade para o criador do negócio.

Desvantagens

Necessidade constante de investimento em reforço de marca, para que seja lembrada e indicada pelos clientes;
Maior dificuldade de atuação nos mercados que privilegiam “fotógrafos pessoais”;
Menor ou nenhuma força no apelo autoral das imagens.

Vendo dessa forma percebemos quão é importante avaliarmos essa questão e definirmos o que desejamos para nosso futuro. Se você pretende ser forte em vista da diferenciação autoral e do contato próximo e personalizado com seus clientes, o caminho é usar o próprio nome. Já os que desejam  criar equipes, com um negócio que pode ser expandido, ou mesmo que pretendem viver da renda do negócio, devem optar pela marca comercial.

Compartilhe:
Alex Mantesso

Alex Mantesso

Alex Mantesso é fotógrafo atuante desde 2008 nas áreas de Retrato Pessoal, de Família, Infantil e Pet. Em 2014 criou o Estúdio Fábrica para atender clientes de fast fashion, redes sociais e e-commerce. Combinando isso a sua experiência nas áreas de gestão e marketing, ministra cursos e workshops sobre carreira e negócios na fotografia, além de colaborar em publicações como a revista Fotografe Melhor, Fotomania, portal Photo Channel entre outros.

2 comentários

  1. Obrigada Alex!!! Eu acabei optando por nome atualmente, justamente por focar em newborn e gestante.
    Uma dúvida: se mais para frente eu conseguir crescer e quiser ampliar (fotografar arquitetura ou comida por exemplo), eu conseguiria criar uma marca à parte para desenvolver, mas usar minha experiência para alavancar esse novo negócio?
    Super obrigada!
    Parabéns pelo novo layout! Adoro suas aulas!
    Bjs

    1. Olá!
      Que bom que gosta!!!
      Para atuar em outras áreas é possível usar uma marca, sim. Já a experiência atual irá ajudar na técnica, mas não sei ser ajudará muito a alavancar o negócio em si, pois são públicos diferentes.
      Espero ter ajudado!
      Bjs!!!

Deixe uma resposta